CAMPANHA 'OUTUBRO ROSA' VAI ALERTAR SOBRE CÂNCER DE MAMA E DE COLO DO ÚTERO!

VISITA DOMICILIAR AOS ACAMADOS

AUTO CUIDADO NAS ESCOLAS

ACADEMIA CARIOCA MARIA SEBASTIANA DE OLIVEIRA!

VEM AI! NOVEMBRO AZUL!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O QUE É O OUTUBRO ROSA?



Outubro Rosa é uma campanha de conscientização realizada por diversos entes no mês de outubro dirigida à sociedade e às mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero. Assista ao vídeo....

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

VEJA COMO FOI A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A POLIOMIELITE

Aconteceu durante o período de 15 de agosto a 31 de agosto a campanha de vacinação contra a Poliomielite em todo o território da Clínica da Família Maria Sebastiana de Oliveira, foi uma grande festa com todas as equipes dedicadas e empenhadas nesse combate. Vejam as fotos da campanha na galeria de fotos.

Alguém sabe o que é a Poliomielite? Vamos conhecer um pouco.

Poliomielite é uma doença viral que pode afetar os nervos e levar à paralisia parcial ou total. Apesar de também ser chamada de paralisia infantil, a doença pode afetar tanto crianças quanto adultos.
A poliomielite foi praticamente erradicada em países industrializados com a vacinação de crianças, inclusive no Brasil, onde a vacina contra a doença foi incorporada à caderneta de vacinas obrigatórios. Mas o vírus causador, no entanto, ainda pode ser encontrado em países da África e da Ásia.
De acordo com o Ministério da Saúde, o último caso de poliomielite registrado no Brasil aconteceu em 1989. Atualmente, a cobertura vacinal brasileira contra pólio é acima dos 95% - considerada um exemplo para o restante do mundo.
No mundo todo, o cenário da doença também melhorou radicalmente. O número de casos da doença em todo o globo caiu 99% desde 1988, passando de 350 mil para 406 notificados em 2013, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).
A poliomielite é uma doença causada pela infecção do poliovírus, que se espalha por contato direto pessoa a pessoa e também por contato com muco, catarro ou fezes infectadas.
O vírus entra por meio da boca e do nariz e se multiplica na garganta e no trato intestinal. Dali, alcança a corrente sanguínea e pode atingir o cérebro. Quando a infecção ataca o sistema nervoso, destrói os neurônios motores e provoca paralisia nos membros inferiores. A pólio pode, inclusive, levar o indivíduo à morte se forem infectadas as células nervosas que controlam os músculos respiratórios e de deglutição.
O período de incubação do vírus, ou seja, tempo que leva entre a infecção e surgimento dos primeiros sintomas, varia de cinco a 35 dias, mas a média é de uma a duas semanas.
O poliovírus pode ser transmitido por meio de água e alimentos contaminados ou pelo contato direto com uma pessoa infectada. A doença é tão contagiosa que pode ser pega no ar, principalmente por pessoas que convivem com portadores do vírus. Quem tem poliomielite pode transmitir a doença semanas após a infecção.

(Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/poliomielite)

quinta-feira, 16 de julho de 2015

ESTÁ ACONTECENDO NESTE MOMENTO O GRUPO DE PUERICULTURA DA EQUIPE ÉRICO COELHO!

Está sendo realizado neste momento na unidade o grupo de puericultura estão presentes a Enfermeira Liliane a Técnica de enfermagem Josilene e a nutricionista do NASF Rebeca.

A nutricionista Rebeca está realizando uma palestra com as mãe ensinando-as e alertando-as nos cuidados da alimentação e na importância de uma dieta adequada as suas crianças.

Algumas fotos:




ACONTECEU!!!!!!!!! ACCOUNTABILITY!!!!!

Aconteceu na quarta-feira (15/07) o 3° seminário de gestão - Accountability na unidade onde contamos com a presença das coordenações da SUBPAV e da CAPS, esteve presente o Coordenador Geral da Coordenadoria Geral de Atenção Primária  da AP-3.1 o Dr. Leonardo Graever. 
Foram convidados alguns usuários da Clínica da Família para participar da prestação de conta.

A clinica também foi presenteada com um certificado de "Conhecimento e Prática do Processo de Notificação Compulsória de Agravos na Atenção Primária.

O accountability tem como objetivo trazer a responsabilidade pessoal pelos atos praticados e explicitamente a exigente prontidão para a prestação de contas, seja no âmbito público ou no privado.
Na verdade, no cenário atual, ele carrega um significado maior e vem sendo cada vez mais utilizado na gestão.

Foi realizado apresentações individuais das equipes e da gestão da Clínica da Família Maria Sebastiana de Oliveira.

A Clínica da Família tem exercido sua importância na comunidade atuando com empenho e dedicação o seu papel. Profissionais preocupados em dar a qualidade de atendimento e de atenção a todos os usuários do território.

Segue algumas fotos desta festividade:








terça-feira, 14 de julho de 2015

ACCOUNTABILITY 2015


Acontecerá na unidade no dia 15/07/2015 o Accountability 2015 onde contamos com a presença das coordenações da SUBPAV e da CAPS, onde o objetivo é trazer a responsabilidade pessoal pelos atos praticados e explicitamente a exigente prontidão para a prestação de contas, seja no âmbito público ou no privado.
Na verdade, no cenário atual, ele carrega um significado maior e vem sendo cada vez mais utilizado na gestão.

Será realizado apresentações individuais das equipes e da gestão da unidade.


GRUPO DE GESTANTE - EQUIPE QUEROSENE

Foi realizado no dia 13/07/2015 o grupo de gestantes da Equipe Querosene abordando como temas as vias de parto e a técnica de Shantala pelos acadêmicos de enfermagem da UFRJ, pela médica da equipe Rayane e técnica de  enfermagem Raquel, além de discutir as temáticas.

As gestantes colocaram em prática a técnica de Shantala.




LEPTOSPIROSE - SINTOMAS, TRANSMISSÃO E PREVENÇÃO.


A leptospirose e uma zoonose de elevada incidência no pais, com uma media de 13.000 casos notificados por ano, sendo 3500 confirmados e letalidade media de 10,8%. Atinge, em sua maioria, pessoas na faixa etária produtiva, dos 20 aos 49 anos.
A media de internações de pacientes chega a 75 %, mostrando a gravidade da maioria dos casos detectados pelo sistema de vigilância. Isto destaca a importância para o diagnostico precoce e tratamento oportuno, como forma de reduzir a gravidade da doença.
A leptospirose ocorre em todo o território nacional, durante todos os meses do ano, principalmente nos meses chuvosos, favorecendo a ocorrência de surtos. Em áreas urbanas, principalmente nas capitais e regiões metropolitanas, apresenta um caráter epidemiológico mais grave, devido a altas aglomerações populacionais de baixa renda, que vivem a beira de córregos, em locais com infra-estrutura sanitária precária e com infestações de roedores, que são fatores que predispõem ao aparecimento de pacientes de leptospirose.
Um dos objetivos do Sistema Nacional de Vigilância é diagnosticar e tratar de modo oportuno com vistas a redução da letalidade. Diante disto, o Ministério da Saúde, por meio desta Secretaria, elaborou este guia voltado a subsidiar o medico
clinico para condutas oportunas de atendimento e para o manejo adequado de pacientes da doença.

Sintomas
São parecidos com os de outras doenças como gripe, febre amarela, dengue, malária, hantavirose e hepatites. Os principais são: febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna). Em 10% dos casos, pode ocorrer a forma grave da doença, com o aparecimento de icterícia (coloração amarelada da pele e das mucosas) por insuficiência hepática, manifestações hemorrágicas (equimoses, sangramentos em nariz, gengivas e pulmões) e comprometimento dos rins. A evolução para o coma e a morte pode ocorrer em cerca de 10% das formas graves. Os primeiros sintomas aparecem de dois a 30 dias depois do contato com a contaminação. Na maior parte dos casos, aparece sete a 14 dias após o contato.
Transmissão
A transmissão ocorre, principalmente, através do contato com a água ou lama de enchentes contaminadas com urina de animais portadores, sobretudo os ratos. A penetração da Leptospira no corpo, através da pele, é facilitada pela presença de algum ferimento ou arranhão. Também pode ser transmitida por ingestão de água ou alimentos contaminados.
Prevenção
Evitar o contato com água ou lama que possam estar contaminados pela urina de rato. Pessoas que trabalham na limpeza de lama, entulhos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha. Medidas ligadas ao meio ambiente, tais como o controle de roedores, obras de saneamento básico (abastecimento de água, lixo e esgoto) e melhorias nas habitações humanas também ajudam na prevenção..

(FONTE: http://www.bio.fiocruz.br/index.php/sintomas-transmissao-e-prevencao)